quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Síndrome do Sapo Fervido em nossas vidas


Hello!

Á alguns anos atrás fiz um tempo de faculdade de administração (ótimo curso e faculdade, mas não era pra mim). Em uma das aulas do primeiro semestre, uma professora muito querida de Teoria Geral da Administração (TGA1) nos passou a "Teoria do Sapo Fervido", que no caso, óbvio, se tratava de situações dentro de uma empresa.

Mas hoje eu cá pensando com meus botões, percebi deveríamos usar esta teoria em todos os segmentos de nossas vidas.

Vários estudos biológicos provam que um sapo colocado num recipiente, com a mesma água de sua lagoa, fica estático durante todo o tempo que aquecemos a água, até que ferva. O sapo não reage ao gradual aumento da temperatura (mudanças do ambiente) e morre quando a água ferve. lnchadinho e feliz. Por outro lado, outro sapo que seja jogado neste recipiente já com a água fervendo salta imediatamente para fora. Meio chamuscado, porém vivo!

Muitos de nós têm comportamento similar ao do SAPO FERVIDO. Não percebem as mudanças, acham que está tudo bem, que vai passar, que é só dar um tempo! E "quebram" ou fazem um grande estrago em suas empresas (vidas, por que não?), "morrendo" inchadinhos e felizes, sem terem percebido as mudanças. Outros, graças a Deus, aos serem confrontados com as transformações, pulam, saltam; em ações que representam, na metáfora, as mudanças necessárias.


Temos vários sapos fervidos por aí, prestes a morrer, porém boiando estáveis e impávidos na água que se aquece a cada minuto. Sapos fervidos que não perceberam que o conceito de administrar (inclusive nossas vidas) mudou.
O desafio ainda maior está na humildade de atuar de forma coletiva.

Fizemos durante muitos anos culto ao individualismo e a turbulência exige hoje, o esforço coletivo, que é a essência da eficácia, como resposta. Tomar as ações coletivas exige, fundamentalmente, muita competência interpessoal para o desenvolvimento e o espírito de equipe; exige saber partilhar o poder, delegar, acreditar no potencial das pessoas e saber ouvir
Os Sapos Fervidos, que ainda acreditam que o fundamental é a obediência e não a competência que manda quem pode e obedece quem tem juízo,"boiarão" no mundo da produtividade e da qualidade.

Agora repense neste texto comparando seu relacionamento, família, finanças, estudos, etc. Tudo pode acabar sofrendo esta síndrome, basta deixar de prestar atenção.


Portanto hoje, estou saindo da panela!


Não quero mais ser este sapo não!!!
Espero que tu também não seja!

Fui-me!

2 diagnósticos:

Leci Irene disse...

Bom dia, guria! Cheguei por aqui, seguindo os caminhos de alguns blogs.. Amei! Gostei do texto e vou aproveitar o feriadão para fazer uma verificação na minha vida - não quero morrer que nem este sapo não!
Beijos

Marliborges disse...

Olá chelle, gostei dessa do sapo fervido! É que a gente acostuma com as coisas (boas e ruins) e nem nota mais... Atenção terráqueos, hora de pular da panela, e já!
beijos