domingo, 24 de outubro de 2010

Porto Alegre é a capital brasileira com maior taxa de suicídios

A liderança do Rio Grande do Sul no ranking de ocorrências de suicídios no País levou autoridades de saúde a se reunirem, ontem (30), em Porto Alegre, para definir o conteúdo de um manual de prevenção aos crimes contra a própria vida, ainda em fase de elaboração.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, somente em 2008, 1.158 suicídios foram registrados no Estado. Entres as Capitais brasileiras, Porto Alegre tem o mais alto índice. Proporcionalmente, cinco municípios do Interior tem os maiores níveis: Santa Rosa, Venâncio Aires, São Lourenço do Sul, Candelária e Santiago. As informações são do programa do jornalista Clovis Duarte, transmitido pela Tv Pampa, de Porto Alegre.

"Nestas cidades, a quantidade de casos destoa da média nacional e alcança patamares semelhentes aos de nações como o Japão, onde historicamente o número de suicídios é recorde", revelou o coordenador do Centro de Promoção da Vida do Estado, psiquiatra Ricardo Nogueira. Segundo ele, fatores econômicos, emocionais, familiares e genéticos podem explicar os motivos para o RS enfrentar o problema.

Ele salientou que "na lista dos municípios com as taxas mais altas, há certa predominância de pessoas com etnias germânicas ou italianas, a exemplo de Venâncio Aires, Candelária, e Santa Rosa, mas não há comprovações científicas de que isto seja determinante".

Outra coincidência que pode dar pistas aos especialistas é o fato de os índices mais elevados de suicídios estarem em cidades com intensa produção de tabaco, no Vale do Rio Pardo. "Temos informações de que inúmeras mortes deste tipo ocorreram em Arapiraca, no Estado de Alagoas, onde também há presença forte de fumicultores", relatou Nogueira. A suspeita é que o uso de agrotóxicos possa ter provocado sintomas de depressão em agricultores.

Apesar de liderar o ranking de suicídios entre as capitais de Estados brasileiros, Porto Alegre, proporcionalmente, tem índice de mortes do gênero menores em comparação com municípios do Interior. Contudo, nos quatro anos, aumentou expressivamente o número de casos entre jovens de 15 a 29 anos. A epidemia do crack e o consumo excessivo de álcool podem estar por trás da maioria dos óbitos.

Um manual de prevenção aos suicídios deve ser distribuido pelo governo estadual a partir de novembro. A meta é reduzir o número de mortes em pelo menos 20% nos próximos dois anos.

Fonte: http://www.jusbrasil.com.br

2 diagnósticos:

Jim Carbonera disse...

Na europa é comum isso. Principalmente por causa do frio. Nao sei se tem alguma ligação, mas é de se pensar. Isso no interior do estado. Pq porto alegre só se for pelo calor sufocante e massivo.

Bjss

Estilo Distinto:
http://estilodistinto.blogspot.com/

MAQUIAGEM EH TUDO !!! disse...

Cruzes, hein....
Mas menina tu é porreta...
Altas informações...
amuuu esse blog viu.
bjks, Vanessa